quarta-feira, 27 de abril de 2011

As sensações da chuva...


Foto de Carol Morais na estreia de A COR DA CHUVA

Hoje é dia de sentir "A cor da chuva" e as sensações que ela nos caus, no calor constante de corpos frios em busca de uma liberdade presa entre quatro paredes e uma liberdade livre nas incertezas do mundo fora dessas quatro paredes amontuadas de jornais , amor,raiva, esperança,medo ilusão...paredes mofadas jornais mofados vidas mofadas...esperança X incerteza...incerteza no que esta por vir quando se pensa em ficar e quando se quer sair...assim é o gosto da cor da chuva... 

(Escrito por Carol Morais em 11 de Abril de 2011 - véspera da circulação do espetáculo)

domingo, 24 de abril de 2011

Invisível CARAVANA de Teatro: 3ª parada JAPARATINGA

Durante a apresentação
Nossa última parada foi na cidade de Japaratinga, segundo informações da própria Secretaria Municipal de Cultura A COR DA CHUVA foi o primeiro espetáculo de teatro que a cidade recebeu, nos apresentamos na Casa da Cultura e posso afirmar que sem sombra de dúvidas foi o nosso maior desafio desta circulação.

Primeiro porque contávamos com um espaço de fato alternativo, não que isso seja ruim, deu até um clima de clausura mais acentuado ao espetáculo, o que nos rendeu a melhor apresentação do ponto de vista técnico dos atores, pois eles tiveram que se adaptar a um espaço que tinha no máximo três metros quadrados e público apenas em dois lados, sendo impossível eleger uma frente.

O segundo desafio eu considero uma infelicidade inclusive, A COR DA CHUVA é um espetáculo aberto para todas as idades, porém, em nossos contatos com todas as prefeituras fizemos questão de enfatizar que se tratava de uma montagem voltada para o público adulto, tendo como alvo os jovens do ensino médio, infelizmente essa recomendação não foi respeitada, contamos com maioria absoluta de crianças na plateia, o que não é um dado ruim, mas dadas as precariedades de acomodações, isso impacientou um pouco o público, que começou a se portar de forma barrulhenta, atrapalhando os atores em cena.

Bate-papo com os atores
Salvo os pequenos incômodos, contamos com um público estimado em 150 pessoas, de todas as faixas etárias. Novamente não foi possível a abertura de debate após o espetáculo, mas um fator que nos impressionou foi o fato de alguns jovens depois do espetáculo procurarem os atores para conversarem sobre suas impressões do espetáculo.

Com essa experiência em Japaratinga, conseguimos diagnosticar que a primeira preocupação do poder público deveria estar no ensino básico de qualidade, pois assim estariam investindo em cidadãos aptos a lutarem pelos seus direitos e cumprirem seus deveres. A acessibilidade à produtos culturais não pode ser uma ação isolada e sem uma estrutura organizada que priorize a formação das crianças e jovens, não falo educação apenas no sentido de ler e escrever, digo educação numa esfera mais abrangente, ligando o conteúdo de sala de aula com noções de educação ambiental, inclusão social, valorização da cultura local e outras tantas vertentes que dão suporte para formação completa do ser humano.

Encerramos nossa Invisível CARAVANA de Teatro no intuito e desejo de que esta seja a primeira de muitas, pois a descentralização do teatro só tem a nos acrescentar como artistas e como pessoas, a troca com cada cidade faz com que tenhamos cada vez mais vontade de trabalhar, e o teatro é feito disso, da troca de experiência, de informação. Que venha agora a circulação dentro de Maceió, e outros espaços, palcos e tudo mais.

Segue abaixo mais um pequeno vídeo que fizemos durante essa circulação, afinal, quando se trabalha com o que se gosta isso se chama diversão.




sábado, 23 de abril de 2011

Invisível CARAVANA de Teatro: 2ª parada IBATEGUARA

Público se acomodando 
Continuando nossa circulação com o espetáculo A COR DA CHUVA, chegamos à cidade de Ibateguara, onde fizemos a segunda apresentação no interior, nessa apresentação contamos com um espaço muito mais amplo do que nós já tínhamos ensaiado e experimentado. 

Nos apresentamos no Centro Cultural, um galpão multiuso, que recebe desde de shows de música até mesmo a feira nos finais de semana, pudemos realmente contar com um espaço distribuído em arena, porém, infelizmente por todas as cadeiras serem no mesmo nível a plateia que se colocou nas fileiras de trás perdeu consideravelmente parte do espetáculo, com isso percebemos a necessidade urgente de conseguirmos algo como uma arquibancada para que as pessoas assistam com maior conforto.

Durante a apresentação
Fato muito interessante a ser observado é que mesmo que a plateia não tenha se colocado para um debate aberto com a equipe do espetáculo parte dos professores que estavam acompanhando seus turmas solicitaram de seus alunos acompanhamento do espetáculo no intuito de posteriormente dialogarem em sala de aula, o que considero bastante construtivo, visto que é notável o engajamento da Secretaria Municipal de Cultura de Ibateguara para que aconteçam ações de difusão e descentralização da arte e cultura no município, por isso agradecemos imensamente à Luciana por todo apoio local e divulgação do espetáculo, firmando mais uma parceria que tornou viável A COR DA CHUVA.

Seguramente Ibateguara foi o município onde tivemos maior público, com uma estimativa de 300 pessoas, numa ação gratuita e aberta à comunidade, nossa maior preocupação está justamente na acessibilidade, uma vez que a configuração do espetáculo foi modificada para que pudéssemos leva-lo para cidades com ou sem teatro. Falando do ponto de vista da encenadora, vejo que este formato funciona e pode ser muito melhor aproveitado com o passar do tempo, afinal, a efemeridade do teatro permite que cada nova apresentação seja um novo espetáculo.

Se comparado com a apresentação em Mar Vermelho, dessa vez tivemos um público mais diversificado, pois tínhamos espectadores de todas as faixas etárias e a maioria deles vindos da zona rural de Ibateguara, apesar da dispersão provocada pela falta de comodidade no espaço, conseguimos perceber o quanto alguns jovens se mantiveram atentos durante toda apresentação, tanto que, Marco Antonio de Campos, membro da Invisível e arte-educador fez uma curta entrevista com jovens da cidade sobre suas impressões do espetáculo, seguindo abaixo o vídeo.



sexta-feira, 22 de abril de 2011

Invisível CARAVANA de Teatro: 1ª parada MAR VERMELHO

Durante a apresentação
Contemplado com o Prêmio de Incentivo à Produção e Circulação de Projetos em Artes Cênicas em Alagoas 2010 o espetáculo A COR DA CHUVA começou sua circulação pelo interior de Alagoas no município de MAR VERMELHO no dia 12 de Abril, recebendo a segunda apresentação oficial deste espetáculo.

Contando com o apoio local da Secretaria Municipal de Cultura, realizamos nossa apresentação no Teatro Municipal de Mar Vermelho, que mesmo sendo um dia de semana, contamos com um público estimado de 150 pessoas, entre alunos da rede pública de ensino e o público em geral. Além de casa cheia o saldo positivo de nossa apresentação foi a receptividade do público que se mostrou muito disponível para o diálogo, não apenas sobre o espetáculo apresentado, mas pela curiosidade do próprio ofício do teatro. 

Durante o debate
Projetos de circulação viabilizam não apenas a acessibilidade à obras teatrais em cidades com pouca atividade artística externa, mas faz com que se gera a curiosidade e fomento das atividades artísticas de um modo geral. Outro aspecto importante a ser considerado é o desafio proposto pela geografia diferenciada de cada espaço cênico, pois como A COR DA CHUVA já está configurado para espaços alternativos a possibilidade de adaptação faz parte do nosso exercício cênico, que se "impõe" para o elenco na capacidade de resignificação do espaço cênico e na equipe técnica no dinamismo para soluções que não haviam sido problematizadas anteriormente.

Particularmente em Mar Vermelho percebemos essa preocupação tanto por parte da prefeitura como dos professores que visam o fomento de discussão em sala de aula daquilo que foi apresentado e bem recebido pelo público. Só temos o que agradecer pelo apoio logístico à Secretária de Cultura Roberta Aureliano e sua equipe de trabalho.

Acho que o vídeo abaixo exprime melhor nossa alegria por essa apresentação em Mar Vermelho.


Nossa estreia


Finalmente no dia 11 de Abril, estreamos oficialmente o espetáculo A COR DA CHUVA, depois de mais de seis meses de ensaios e incertezas por uma série de fatores que atrasou nosso processo tendo que remarcar nossa circulação de Dezembro de 2010 para esta presente data, o espetáculo contemplado com o Prêmio de Incentivo à Produção e Circulação de Projetos em Artes Cênicas em Alagoas 2010 fez sua primeira apresentação no Espaço Cultural Linda Mascarenhas para alunos da Escola Estadual Moreira e Silva. Contamos também com a presença de alguns professores de diversas áreas que vão desde Sociologia,  História,  Artes e Teatro até Educação Ambiental, para uma participação mais acalorada em nosso debate, o que veio a contribuir com o entusiasmo dos alunos presentes, que além de expressarem suas dúvidas quanto ao espetáculo ainda teceram comentários pertinentes que só vêm a acrescentar com nosso processo contínuo de composição do espetáculo.



Do nosso ensaio aberto para a estreia propriamente dita já fizemos algumas modificações, sobretudo quanto a espacialidade do local de apresentação, buscando assim relocar o espetáculo para uma configuração mais audível da plateia, além, é claro, dos ajustes técnicos necessários em cada montagem de cenário.

Nesta ocasião percebemos a importância da descentralização dos bens culturais, pois dentro do próprio CEPA contamos com uma gama de alunos que têm carência e curiosidade de desfrutar dos meios artísticos de expressão, não desenvolvendo-se artisticamente muitas vezes por falta de acesso ou até mesmo de informação.

Gostaríamos de agradecer ao Espaço Cultural Linda Mascarenhas na pessoa do Diretor Artístico Júnior Almeida pela disponibilidade não apenas do local, mas no acesso e na presença constante, fazendo com que pudessemos assim promover dentro do grupo um trabalho de Residência Artística, o que viabilizou vários experimentos, agradecemos sobretudo à parceria que possibilitou ensaiarmos de Outubro até Abril num espaço adequado e estrearmos com conforto e segurança. 


Ah, agradecemos também ao pessoal do Estúdio Máquina de Ideias pelas fotos desta postagem e pela filmagem que postaremos trechos em breve.

sábado, 9 de abril de 2011

Nosso ensaio aberto

Acho que essa semana toda teremos muitas postagens aqui no blog justamente por causa da nossa movimentação mental e geográfica, dia 08/04 fizemos nosso ensaio aberto, pudemos experimentar a iluminação, sonoplastia e ver o que funciona de verdade como parte de um espetáculo.

Considero que todas as observações feitas ao final do ensaio foram da maior relevância para afinarmos o que está faltando ser trabalhado na A COR DA CHUVA e essa troca de impressões é o que existe de mais precioso na nossa profissão, afinal o teatro só existe por causa do público, não podendo ser de outra forma a nossa preocupação em saber o que consegue comunicar e o que acaba ficando pelo meio do caminho. 

O mais bacana desse bate-papo pós-ensaio está na troca sobre o processo de criação e composição que foi desenvolvido desde Setembro de 2010, muita coisa que apenas assistindo à uma montagem pode gerar dúvida ou uma simples curiosidade dos caminhos explorados até se chegar nesse resultado final (que ainda assim é parcial, pois acredito que uma obra teatro nunca estará finalizada já que nossa mudança pessoal afeta diretamente nossa expressão artística.)

Agradeço a presença de todos e ao empenho da equipe, já conseguimos ser reconhecidos como um grupo e não apenas uma reunião de pessoas, convergimos para o centro apesar das nossas divergências.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Mais uma boa notícia

Saiu hoje o resultado dos grupos selecionados para o GESTO 2011:

CONFIRA OS PROJETOS SELECIONADOS PARA O GRUPO DE ESTUDOS TEATRAIS ORIENTADOS 2011
08 de abril de 2011
“O Fim do Mundo”, da Companhia Insanos e “A Cor da Chuva”, da Invisível Companhia de Teatro foram os dois projetos selecionados para participar do Grupo de Estudos Teatrais Orientados (Gesto) 2011.
Em maio, as duas companhias começam os encontros com o assessor técnico-pedagógico e a equipe de artes cênicas do Sesc para avaliar e elencar quais serão os caminhos e etapas dos estudos ao longo dos meses seguintes. Já as oficinas específicas com profissionais convidados voltadas para os aspectos técnicos dos projetos selecionados serão de direção/encenação, expressão vocal, expressão corporal e iluminação. Em breve, serão abertas as inscrições para as oficinas, dais quais os demais interessados podem participar gratuitamente.
fonte: http://www.sescalagoas.com.br/imprensa/noticias/index.asp?vCod=338&idioma=pt

Traduzindo: AGUARDEM NOVIDADES POR AÍ!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Reta final

Exatamente hoje faremos nosso último ensaio fechado de A Cor da Chuva, nesses quase sete meses de trabalho tivemos que enfrentar algumas complicações, como falta de local adequado para ensaios, demora na liberação da segunda parcela do prêmio por parte da SECULT, tivemos que reorganizar nossa agenda de ensaios por causa das viagens para aperfeiçoamento de nossa equipe, mas digo que tudo isso só fez fortalecer nosso projeto e nosso processo.

Por mais que a inscrição no Alagoas em Cena tenha sido feito em meu nome (Daniela Beny), esse prêmio foi nosso, no sentido de que a partir dele estamos dando início a um grupo propriamente dito, pautado na vontade de fazer teatro, no companheirismo e, acima de tudo, no respeito mútuo, pois só com diálogo e compreensão é que se vai pra frente.

Estou muito feliz de nessa oportunidade estar trabalhando com Udson, Cícero, Maurício e Carol, sei o quanto podemos crescer juntos, e a evolução é válida quando seguimos lado a lado, mesmo que por caminhos diferentes, só tenho a agradecer a todos pela compreensão e pelo companheirismo principalmente nesses últimos meses, obrigada por estarem sempre muito presentes até mesmo nos momentos em que eu tive que estar ausente, o nome disso é trabalho em equipe.

Ah, aos interessados, nossa agenda de apresentações:
  • 11 de Abril - Espaço Cultural Linda Mascarenhas, para os alunos da Escola Estadual Moreira e Silva,
  • 12 de Abril - Teatro Municipal de Mar Vermelho, aberta ao público, 
  • 13 de Abril - Centro Cultural de Ibateguara, aberta ao público,
  • 14 de Abril - Apresentação em Japaratinga, aberta ao público.
Maiores informações: (82) 8803-5128

2014 - um ano de muita pesquisa

Então, desde o final de 2014 o tempo tem sido cada vez mais escasso apenas pelo fator MESTRADO, tão raro que, ao vir atualizar o blog me de...